segunda-feira, janeiro 30, 2006

Neve, mas qual neve?

E eis que se fez neve, ao vigésimo-nono dia, do primeiro mês, do segundo-milésimo sexto ano. A histeria dominou o país, pessoas aos saltos, a correr para a neve, a brincar com a neve, a telefonar a todos os amigos... Já em minha casa: caíram meia duzia de flocos durante uns dois minutos, depois, quando pensei que começaria a nevar mais a sério, como aconteceu no resto de Lisboa, parou, e voltou a chuva.
Já me estou a imaginar daqui cinquenta anos, quando voltar a nevar em Lisboa, os meus netos vão-me perguntar se me lembro de alguma vez ter nevado em Lisboa e eu vou ter de responder que sim, que me lembro, mas que não vi! E eles vão olhar para mim com um ar desconfiado e pensar, coitado do avôzinho, está a ficar louco, deve ser a aterosclerose...

2 comentários:

Paulo disse...

isso digo eu! neve, mas qual neve? porra, que nunca mais neva para estes lados!...

Pedro disse...

É pá assim ja me sinto melhor...