quarta-feira, janeiro 25, 2006

I have the Blues

O único canal de televisão português que ainda vale a pena ir vendo é sem dúvida a 2. Entre as pérolas que por lá se encontram, tem aparecido um documentário genial, realizado pelo Martin Scorcese, sobre a história dos Blues, as verdadeiras raízes negras (negras na cor da pele, não com nenhuma conotação negativa!) da música americana.
Infelizmente, foram poucos os episódios que consegui ver, mas a qualidade da banda sonora ficou-me no ouvido e tratei de a arranjar via e-mule. Simplesmente genial, alguns dos grandes nomes da música do século XX, a puxarem pelas vozes e pelos instrumentos, naquele estilo que longe de ser lamuriante, antes incita a rebelião contra a injustiça e a tristeza. Sim, porque chorar às vezes é bom e é isso mesmo que são os blues: A vida é uma merda, mas não vamos baixar os braços, ao menos vamos aproveitar isso para fazer boa música!
Desde John Lee Hocker, Muddy Waters, Ray Charles ou B.B. King, a Bonnie Raitt, Janis Joplin, ou Jimi Hendrix, passando por uma lista razoável de nomes que, tenho de confessar, para mim são ilustres desconhecidos, é uma colectânea genial.

E por favor, não venham com aquela conversa de que o Fado são os Blues portugueses. Não tenho nada contra o Fado, até acho que, quando bem interpretado, é um estilo bastante interessante, mas comparar o Fado aos Blues é como comparar um Fiat a um Ferrari.

3 comentários:

Filipe disse...

Bom, se analisares bem a coisa, a Ferrari pertence ao grupo Fiat... E olha que 99% dos donos de Fiat Punto pensam que aquilo é um Ferrari.

Lótus Azul disse...

lol.Muito bom, Filipe!

Pedro, o Fado são os blues portugueses!... ... ... ... ... ...
... ...
Não acho, mas É SÓ PARA TE PROVOCAR.

Pedro disse...

Flipe, quanto a isso estamos de acordo! Se calhar não usei a melhor comparação do mundo...