quarta-feira, janeiro 11, 2006

Cenas de gajo


Vou fazer aqui uma confissão, nunca tive jeito nenhum para cenas de gajo. Na nossa sociedade existe o mito de que homem que é homem tem de saber construír coisas, reparar coisas, fabricar coisas, etc. Não é de todo o meu caso, era um total fracasso na escola, nos trabalhos manuais, olho para a coisa mais simples de mecânica como um boi para um palácio e a mais básica instalação eléctrica é para mim algo tirado de um filme de ficção científica...
Por tudo isto, quando no outro dia, numa tirada bem típica de mim, parti a ficha e a tomada do candeeiro da minha mesa de cabeçeira enquanto arredava a cama, pensei: "tou lixado". Imaginei-me logo a comprar um candeeiro novo só por causa da ficha eléctrica e nem fazia ideia do que fazer quanto à tomada. Mas não, enchi-me de coragem, rumei ao AKI em busca de material eléctrico e pus mãos à obra.
A tomada foi bastante fácil de reparar, era só tirar dois parafusos, encaixar a caixa nova e aparafusar. Já por uma ficha nova no cabo do candeeiro é mais complexo... Cortei o cabo de cada lado, descarnei os fios, enrrolei os aramitos de cobre uns nos outros e só depois me lembrei que aquilo só funciona se estiver bem isolado. Na falta de fita isoladora, enrrolei aquilo tudo com montes e montes de fita adesiva normal... claro que quando liguei o candeeiro à corrente o disjuntor deu um estouro como se não houvesse amanhã e ainda vi por um milésimo de segundo a fita adesiva num tom laranja incandescente. Rumei a uma loja para comprar fita isoladora. Claro que foi uma pequena guerra para conseguir por a fita em cada fio do cabo, sem partir de novo o outro, mas lá acabei por conseguir. Liguei o candeeiro à corrente e sabem que mais: fez-se luz!
Fiquei mesmo orgulhoso!

2 comentários:

Paulo disse...

eu também sou um zero à esquerda. mas já tenho feito algumas coisas que me têm deixado orgulhoso.

Lótus Azul disse...

Boa Mike!

O Sr. que vive comigo cá em casa tem um fetiche por ferramentas,o que de certa forma é normal, uma vez que vem de engenharia mecânica. E além disso é completamente vidrado em caixas de ferramentas, que pede incessantemente como prenda. Ainda este Natal lhe dei uma que mais parece uma arrecadação. Em contrapartida não liga absolutamente nada a futebol.
Isso das cenas de gajo é muito relativo... O meu por exemplo teve azar na mulher que escolheu- não lhe dou trabalho, porque adoro concertar coisas, desentupir canos, trocar lâmpadas, fazer bricolage e perceber "internamente" o funcionamento dos electrodomésticos. E no entanto, se há gaja que gosta muito de coisas de gaja, eu sou uma delas.