segunda-feira, fevereiro 27, 2006

Baía dos Frangos


Em 1961, 1300 agentes da CIA, tentaram iniciar uma contra-revolução em Cuba, invadindo a Baía dos Porcos, no que se revelou um dos grandes fracassos da política externa americana no século XX. Ontem, o Porto veio à Luz só para naufragar na famosa Baía dos Frangos, um exemplo de um muito pequeno e insignificante fracasso do século XXI.
Aquele homem continua, aos 520 anos, a ser o guarda-redes português que mais espectaculo dá, ainda ontem encheu o estádio da Luz da sua mágia naquela semi-cambalhota com mortal encravado com que se desviou do remate desferido pelo Robert a aproximadamente 3,5 quilómetros da baliza do Porto, garantindo mais uma vez os três pontos para o Benfica.
Em declarações exclusivas para este blog, o seleccionador nacional Filipão Scolari revelou finalmente a verdadeira razão porque se recusa a convocar Baía para a selecção, e passo a citar "Se eu levasse o Baía à selecção, iamos todos correr um perigo tremendo de contágio de gripe aviária, podendo mesmo correr-se o risco de ver a equipa ser proibida de participar no mundial da Alemanha por motivos de ordem sanitária".
Quem falou também ontem a este blog depois do jogo foi o senhor Falulu Marekeke, selecionador nacional do Burkina Faso que voltou a dizer, e passo a citar "Se o Baía continuar a exibir-se a este nível, ponderamos a hipotese de o naturalizar para o pôr ao serviço da nossa equipa B do escalão de gajos quase tão velhos como o papa".

Já o escrevi aqui antes e volto a dize-lo: Vítor, tu és a nossa diversão!

2 comentários:

Filipe disse...

Pensando de um modo capitalista em que um investimento tem que dar lucro, não percebo porque há quem ainda esteja disposto a pagar ordenado a esse gajo. É que ele não faz NADA! No entanto como a entidade patronal é o FCP acho que lhe deviam subir o ordenado e pô-lo a jogar ainda mais vezes.

Pedro disse...

Concordo, as mãos daquele homem valem ouro!