sexta-feira, agosto 14, 2009

Recomeça a palhaçada


Aí vem mais um campeonato nacional. As equipas reforçaram-se... ou não, todos estão a postos.. ou não. Ao fim de décadas de domínio da cooperativa Pinto da Costa/Oliveiras/árbitros comprados, será que alguém espera mesmo algo diferente?

A época vai começar animada, várias equipas a mostrarem-se fortes, e não só os grandes. Depois, uma a uma todas as equipas excepto uma vão começar a sentir a habitual perseguição das arbitragens. Vão ser as faltas cirurgicas a meio campo, os cartões mostrados só para um lado, a habitual dualidade de critérios. Primeiro vão sofrer os (ditos) não grandes, menos um ou dois para animar a gentalha. Depois, caso o equilibrio se mantenha, vão entrar em acção as medidas mais extremas. Operações mais escandalosas estilo os dois Benfica-Porto da época passada, ambos exibições magistrais do Benfica, ambos terminando em empate graças a uma arbitragem vergonhosa das equipas de arbitragem que positivamente salvou a equipa do Porto da merecida derrota. Se isso não bastar, mais umas arbitragens cirurgicas em jogos secundários (recordo-me do Benfica-Nacional da época passada, que infelizmente tive o previlégio de presenciar ao vivo, no Estádio da Luz, quando o árbitro Pedro Henriques pos em marcha uma das mais vergonhosas arbitragens da última década). Subitamente, surpresa das surpresas, o Benfica e o Sporting começaram a perder pontos e mais pontos e fica só uma equipa sozinha na frente. Que grande surpresa...

Há anos que a história é sempre a mesma, será que alguém espera mesmo algo diferente? Quem perde? o futebol portugues que ano após ano perde importancia na Europa rumando a uma posição terciária, insignificante ao nível das competições europeias.

Eu fico-me pelas Ligas Inglesa e Espanhola, que não sendo isentas de polémica são genuinamente competitivas, cheias de desportivimo e de emoção.
Em Portugal? Se o Benfica ou Sporting forem campeões, tanto melhor, se não, o que que isso interessa mesmo? Afinal que valor tem ganhar um prémio se formos nós os únicos candidatos?

Mas é importante, mantém o povão entretido. O que fariamos nós nas noites de fim-de-semana se não houvesse liga?

1 comentário:

Pedro disse...

E bastou mesmo uma jornada... I rest my case!