domingo, novembro 20, 2005

Presidenciais 2006 - A revolta da terceira idade

Hoje vou dar uma de comentador político e falar de presidenciais. Ora qualquer comentador deve ter como objectivo simplificar a tarefa de escolha do eleitor, auxiliando-o a compreender as implicações da sua decisão. Para isso, decidi criar novos nomes para os candidatos, que mais facilmente revelam de quem estamos a falar e em quem estaremos (ou não) a votar.
Segundo o blog do queirosene, as presidenciais já vão em 13 candidatos, mas acho que alguns ainda não têm assinaturas suficientes para concorrer. 13 é um bom número, revela bem a boa sorte que vão trazer a Portugal... mas adiante. Como 13 são muitos e alguns não faço ideia de quem são, vou apenas dar "alcunhas" aos 6 mais conhecidos do povão: Alegre, Cavaco, Garcia Pereira, Jerónimo, Louçã e Soares.
Seguindo esta ordem alfabética só porque sim, pois não tenho problemas nenhuns em dizer já que os meus favoritos são o Jerónimo e o Alegre e que ao Cavaco apenas desejo uma morte lenta e dolorosa, cá ficam as alcunhas para usar por essa campanha fora:
Alegre, o poeta, o pescador que eu, quando era puto, via quase todos os fins de semanas à pesca na praia da Foz do Arelho. De barbas brancas, merece bem ser o Velho do Mar. Reparem bem na inteligência da alusão ao "Velho e o Mar" do Hemingway, por o Alegre ser um gajo ligado à literatura, este meu texto está praticamente ao nível de um livro da Margarida Rebelo Pinto (enfim... talvez não tão mau assim!)


Cavaco, o filho da mãe que nos andou a lixar com F grande durante 10 anos, e que agora voltou com falinhas mansas a dizer que tal e o camandro e até percebe bué de economia, será a partir de agora o Grande Satã dos Números, até porque aquela fuça de vampiro faz um lembrar um bocado as representações bíblicas do tal Mafarrico que era um bocado mal visto por bandas do céu e arredores.


O Garcia Pereira é um candidato pequenito, tanto em estatura como em número de votos, mas isso não o impede de ser um gajo todo aguerrido, sempre à luta e à pancada. Por isso merece a honra de se chamar a Formiga Proletário-atómica. Digam lá se não o conseguem imaginar a dizer "Up and atom, proletários do meu país!"



O Jerónimo é um velhote cheio de genica, com jeito para dançar (dizem). Sempre que necessário, gosta de arregaçar as mangas, como fazia no tempo em que era operário metalúrgico (ou algo semelhante, não propriamente um jornalista para saber estas cenas). Por isso vai ser o Metalúrgico Dançante. Reparem que em inglês, “The Dancig Metal Worker” soaria muito melhor e até dava um bom nome para um banda de Folk britânico ou irlandês.

O Louçã, apesar de ser um gajo de esquerda, não tem nada aquele estilo trauliteiro típico, pelo contrário até é um bocado beto e às vezes parece ser irritantemente certinho. Não querendo ser demasiado mau para ele e porque ele não só é vermelho na política como também é do Benfica, vai ser o Beto Vermelho. Não confundir com aquele rapaz alourado que joga no Benfica mas não percebe muito de futebol.



Soares, finalmente, e tentando não ir directo às piadinhas óbvias sobre a idade da criatura, lembrei-me que todos dizem ser um verdadeiro animal político. Ora com umas bochechas daquelas só há um animal que me vem à cabeça, daí o nome, o Bulldog Geriátrico da Política.


Espero que este momento de inspiração matinal domingueira tenha ajudado a clarificar a situação das próximas presidenciais. Aqui está “A Inevitável Insatisfação do Ser” a prestar serviço público mais uma vez. Portanto em resumo, para não esquecerem, aqui ficam os nomes a ser usados por essa campanha fora:

Manuel Alegre, o Velho do Mar.
Cavaco Silva, o Grande Satã dos Números.
Garcia Pereira, a Formiga Proletário-atómica.
Jerónimo de Sousa, o Metalúrgico Dançante.
Francisco Louça, o Beto Vermelho.
Mário Soares, o Bulldog Geriátrico da Política.

Tenho dito.

2 comentários:

Andreia disse...

E como o camarada Jerónimo também é o meu favorito, deixo uma pequena achega: o senhor era afinador de máquinas numa metalurgia. Bons Votos!

Pedro disse...

Bem, bons votos são todos aqueles que não forem para o Cavaco!

Obrigado pela confirmação... bem me parecia que a minha fonte era segura, lol!

Mas Jerónimo não, Metalurgico Dançante. É a ver se os nomes pegam. Já estou a ver a Manuela Moura Guedes a abrir o Telejornal a dizer, "ééééh, hoje o Metalurgico Dançante e o Grande Sata dos Números encontraram-se em plena Rua Augusta a meio das suas acções de campanha..."