quarta-feira, outubro 19, 2005

A gripe das aves


Anualmente morrem 2500 pessoas em Portugal de gripe normal. Se este ano houver uma variante diferente, proveniente do temido virus da aves, morrem 5 vezes mais... E???
Sabem quantas pessoas morrem de fome por dia, só porque a Europa não gasta uns trocados para apoiar os países africanos? Ou quantas dezenas de milhões estão infectados pela SIDA por todo o mundo, em grande parte pelo constante boicote da igreja católica às campanhas de prevenção nos países do terceiro mundo? Sabem quantas pessoas morrem anualmente na Europa devido ao consumo do tabaco? Quantas mães morrem a tentar fazer abortos em clínicas ilegais e sem condições? Quantas crianças morrem de doenças tão banais como o sarampo, a difteria ou a tosse convulsa, porque a OMS não tem fundos para fazer campanhas de vacinação adequadas nos países mais pobres.

Estamos a viver a maior histeria colectiva desde o célebre Verão em que a Mary Quaint inventou a mini-saia e tudo por causa de uma merda de um virus que ainda nem se sabe se conseguirá ser transmitido de pessoa para pessoa. Deixem-se de merdas! Sim, uma pandemia de gripe aviana pode ser um problema grave, mas não justifica este clima absurdo de histeria que estamos a viver. O mundo tem problemas suficientes por resolver para não começarmos a esbanjar milhões numa doença que ainda nem existe.
Ninguém percebe que trata-se de uma manobra do poderoso lobby das empresas farmaceuticas para obter mais financiamento? O temido vírus H5N1 já anda por aí desde 1997 e ainda não conseguiu fazer a famigerada mutação que lhe permitirá causar a pandemia mais terrível de que à memória (por acaso, nenhuma das estimativas sensacionalistas que têm saído nos últimos dias se aproxima, sequer, da actual pandemia de HIV). Claro que pode acontecer, e claro que têm de ser tomadas precauções para evitar o contágio a humanos e para garantir a prontidão dos sistemas médicos em caso de epidemia, mas este clima ridículo de histeria não vai certamente ajudar ninguém.
A prova ultima de que isto é tudo uma treta é que ainda não foi proibida a caça, quando toda a gente com meio palmo de testa já percebeu que esse é um dos focos potencialmente mais perigosos de contágio e é também o mais fácil de estancar... Tudo porque o lobby da caça é um dos mais poderosos na Europa (e não só).

E se morremos todos de gripe, tanto melhor. Era um favor que se fazia ao planeta

8 comentários:

Lótus Azul disse...

Adorei a foto do pombo. Gostei mesmo...
Quanto ao texto... tudo o que é importantizado neste mundo são as questões que se decidem como mediáticas... quem para a malta andar toda de olhos vendados, sem se dar conta do que realmente interessa.
O que faz falta é entreter a malta, para que esta se mantenha quietinha na ignorância... if you know what I mean...

Ju disse...

É sempre a mesma merda... lobbie praqui lobbie prali. Agora já que cá estamos, vamos tentar fazer o melhor. Atitudes derrotistas de "era um favor que se fazia se morressem todos os humanos" é fundamentalismo. E isso não é saudável. Vamos focar energias para chegar a um meio termo, pelo menos na tua cabeça. Percebo a tua atitude, mas tb acho q tá exagerada.
E tb vamos a ver que tu próprio és lobbie, amante das aves como tu... queres fazer passar a mensagem que elas são as inocentes. LOL (just kidding).

Pedro disse...

subescrevo ponto por ponto o que a Lótus Azul escreveu.

E acrescento um verso célebre do Zeca Afonso:

"O que faz falta é acordar a malta, é o que falta"

Queirosene disse...

Caro Dr. Pedro:
Tenho um piriquito que tem apresentado sintomas febris e tosse. Dei-lhe um aspegic misturado com a alpista, contudo os sintomas não melhoraram. Poderá o Jójó estar com gripe das aves? O que deverei fazer?

Pedro disse...

Esses piriquitos, dizem que com umas batatinhas a murro vão muito bem. Regadinhos com um bom vinho tinto então...

É uma ave com gripe certamente. Telefona à TVI que ainda ficas famoso!

Ana disse...

Eu acho que todos temos medo do que não conhecemos...

Pedro disse...

É muito verdade Ana. Aliás, se calhar é por isso é que sentimos tanta necessidade de saber mais e de conhecer mais, para haverem menos coisas que nos atemorizem. Acho que foi isso que impulsionou a ciência nas sociedades primitivas (e se calhar continua a funcionar agora).

Ana disse...

Hummm... ficou-me para sempre gravada a primeira aula que tivémos de História do Pensamento Biológico em que o Almaça iniciou a conversa a dizer que a biologia começou com as pinturas rupestres... Eu diria que a Ciência evolui pela necessidade que o Homem sente de controlar o que o rodeia, não só porque lhe causa medo, mas porque precisa da Natureza e quanto mais souber sobre ela, melhor. Mas penso que há ainda outro motivo, que é aquele com que me identifico e é aquele que me levou a seguir as ciências: a necessidade de conhecer o que para nós é belo.