domingo, janeiro 28, 2007

O poema da Natália

Para quem não acompanhou este despique de ideias, à volta da questão do aborto, deixo-vos aqui o genial poema com que a Natália Correia respondeu a João Morgado, deputado do CDS que tinha dito que na sua opinião, muito moral e pia, "o acto sexual é para fazer filhos".


Já que o coito - diz Morgado -
tem como fim cristalino,
preciso e imaculado
fazer menina ou menino;
e cada vez que o varão
sexual petisco manduca,
temos na procriação
prova de que houve truca-truca.
Sendo pai só de um rebento,
lógica é a conclusão
de que o viril instrumento
só usou - parca ração! -
uma vez. E se a função
faz o orgão - diz o ditado -
consumada essa excepção,
ficou capado o Morgado.


Natália Correia

2 comentários:

Meteoritu disse...

n consegui interpretar o poema... plo menos sou sincero XD

mas a minha opinião é que, devia ser permitido... pq, mais vale isso, que recorrer a adopção e a criança poder crescer ainda pior... e quando digo adopção digo mais.!

Aisling disse...

Brilhante!!!! Grande capacidade de resposta! ;)