quarta-feira, janeiro 03, 2007

Fé na esperança

Entre as inquitetudes de um dia vazio, nasce a esperança de um sorriso,
entre as dúvidas de uma dor que espreita, nasce a certeza de um prazer profundo,
entre o pânico de viver no medo, nasce a esperança de uma paz doce,
entre os pregos de uma cruz despida, nasce o desejo de dar um passo em frente.

Costurada pela languidez e pela proximidade
Enchertada com ramos de compreensão e fé
Semeada com gestos de carinho e atenção
Cresce uma esperança mais forte do que o medo



Não, não estou a falar de religião.

2 comentários:

Lótus Azul disse...

pois de fé não estás, mas de amor parece-me que sim.
beijos.

Pedro disse...

E não será o amor uma questão de fé?


Como eu gostava as vezes de ter essa fé cega dos que acreditam e seguem piamente uma religião qualquer. Como diziam os xutos: "Um pouco de fé"