sexta-feira, outubro 05, 2007

O caminho

Há muitas coisas injustas neste mundo. Muitas pessoas que morrem sem o merecerem, muitos pais que veem um filho morrer sem o merecerem, muitos que vivem vidas felizes até aos 90 sem o merecerem, criancas que sofrem doencas horriveis sem as merecerem, soldados que matam outros soldados no campo de batalha sem o merecerem, tristizas que nos chegam sem as merecermos, alegrias que nos tocam sem as merecermos.
E nós, que fazemos nós? Lutamos, sorrimos, sofremos, cantamos, choramos, vivemos e amamos. Sao muitos os tranbolhoes e muitas as dificuldades, mas também sao muitas as alegrias e as boleias, sempre em busca do nosso caminho.
E quando o encontramos? Quando o encontramos compreendemos finalmente que tudo afinal valeu a pena.

6 comentários:

Gemini disse...

Acho engraçado (e verdade) que lhe chames "caminho" e não vejas como um "fim". Mesmo depois de descoberto, continuas no "caminho", com outras direcções a tomar. E, nesse caso, estaremos no "caminho" desde o início sem o sabermos? Podemos voltar a perder o caminho?
Abraço e bons caminhos!

Filipe disse...

Pronto, tás apaixonado.

Pedro disse...

Gemini, tens toda a razao, era isso que eu queria dizer, nos estamos no caminho so que demoramos a perceber. So encontramos o caminho quando nos encontramos a nos proprios


Filipe, digamos que encontrei o caminho...

Maçã Azul disse...

Já que estamos numa fase de elogios confesso que gosto muito do que escreves. Tens posts muito inpiradores!
Uma sugestão: experimenta fazer o teu auto retrato. Pode ser um exercício pessoal (não precisas publicar).

Quanto ao caminho... são realmente muitas as bifurcações, rotundas, sinais confusos e as indicações impossíveis de entender. Mas segundo a minha modesta opinião a forma como olhas para o teu caminho é determinante. Há que aprender com as travagens e até com os acidentes. E olhar sempre em frente com esperança! Cada vez mais acredito que energias positivas atraem coisas boas!

Filipe disse...

Adorava comentar o comment da Maçazita azul, mas se ela já pensa que eu sou mau (vá-se lá saber porquê), depois ia ser lindo, ia...

Maçã Azul disse...

Filipe, por mim estás à vontade! Viva a liberdade de expressão. Também o que poderia eu fazer! Estás demasiado longe...